Open Conference Systems, VIII Congresso Nacional de Administração e Contabilidade - AdCont 2017

Tamanho da fonte: 
A Importância do Capital Psicológico em Gestores de Fundos de Investimento
Nicolas Corteze Chang, Samira Loreto Edilberto Pompeu, Flávia de Souza Costa Neves Cavazotte, Vinicius Mothé Maia

Última alteração: 2017-08-30

Resumo


A presente pesquisa buscou mensurar se o capital psicológico dos gestores e analistas de fundos de investimento pode ser determinante para o desempenho de fundos em um contexto de instabilidade financeira. O estudo está inserido no contexto das finanças comportamentais, tendo como embasamento teórico estudos sobre personalidade, emoções e a psicologia positiva, com ênfase no conceito do capital psicológico - um construto que integra diversos critérios do comportamento psicológico positivo, como a autoeficácia, esperança, resiliência e otimismo. A fim de coletar os dados sobre capital psicológico, foi montado um questionário, enviado para gestoras de recursos das cidades do Rio de Janeiro e São Paulo. Os dados da rentabilidade acumulada dos fundos de investimento em ações foram coletados através da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiros e de Capitais (ANBIMA). A estimação foi realizada pelo método dos Mínimos Quadrados Ordinários (MQO), utilizando uma constante, variáveis de controle e as variáveis de interesse. Os resultados sugerem que fundos de ações administrados por gestores e analistas possuidores de maior resiliência e otimismo obtiveram retorno superior à média no período, corroborando com duas das hipóteses propostas, sugerindo que uma especial atenção a estes dois traços pode ser relevante na administração de fundos de ações em tempos de turbulência.

Texto completo: PDF