Open Conference Systems, VIII Congresso Nacional de Administração e Contabilidade - AdCont 2017

Tamanho da fonte: 
A Intenção de Uso do Consumidor Brasileiro em Relação ao Carro Elétrico
Daniel Braga Monteiro, Angilberto Sabino de Freitas, Ana Cristina de Oliveira Lott

Última alteração: 2017-08-31

Resumo


A introdução de novos produtos, como o carro elétrico, tem um grande potencial de falha pois representa uma proposta diferente para os consumidores, quando comparado aos veículos à combustão. Este estudo utilizou a Teoria do Comportamento Planejado Decomposta (DTPB) proposta por Taylor e Todd (1995) para investigar a intenção de uso do consumidor brasileiro em relação ao carro elétrico. Trata-se de uma pesquisa quantitativa, foram obtidas 383 respostas válidas ao questionário, e os dados foram analisados por meio de Análise Fatorial Confirmatória (CFA) e Modelagem de Equações Estruturais (SEM). A população é formada pelo conjunto de consumidores brasileiros que possuem carteira de habilitação para dirigir e utilizou-se a técnica de amostragem por bola-de-neve (snowball). Os resultados revelaram grande influência exercida pelo construto atitude em relação à intenção de uso. Por sua vez, a atitude é influenciada, substancialmente, pela vantagem relativa e compatibilidade em relação ao carro elétrico. Indicando que é importante que o consumidor perceba esta inovação como vantajosa, em comparação aos veículos à combustão, e compatível com os seus valores e crenças pessoais.

Palavras-chave: carro elétrico; inovação; intenção de uso; teoria do comportamento planejado decomposta.

Texto completo: PDF