Open Conference Systems, VIII Congresso Nacional de Administração e Contabilidade - AdCont 2017

Tamanho da fonte: 
A Evidenciação das Emissões de Gases do Efeito Estufa nos RS.docA Evidenciação das Emissões de Gases do Efeito Estufa nos Relatórios de Sustentabilidade
Vanessa Caroline Becker, Maristela Mercedes Bauer

Última alteração: 2017-09-03

Resumo


O Protocolo de Quioto, criado no ano de 1997, estabeleceu as reduções de emissão de gases do efeito estufa (GEE) de acordo com o nível de desenvolvimento de cada país, com intuito de desacelerar a poluição atmosférica. Nesse contexto, este artigo tem como objetivo analisar as informações evidenciadas nos relatórios de sustentabilidade do modelo GRI G4 das empresas listadas no índice de carbono eficiente (ICO2) da Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros (B3) às partes interessadas no que tange à emissão de GEE para o ano de 2015. O presente estudo caracteriza-se como descritivo, com procedimento técnico documental e com abordagem qualitativa. A análise de conteúdo foi realizada em uma amostra de 19 empresas listadas pelo Índice de Carbono eficiente. Como instrumento de pesquisa para a coleta de dados, utilizou-se uma lista de verificação com os 07 indicadores do aspecto de emissões baseados nas diretrizes do GRI. A partir da análise de conteúdo dos dados coletados, verificou-se que o indicador mais evidenciado foi o G4-EN15 das emissões diretas de GEE pela empresa CCR, com 86% de aderência, e as demais empresas permaneceram com percentual inferior a 72% de evidenciação das orientações. Por fim, constatou-se que nenhuma empresa apresentou todas as informações para as orientações estabelecidas aos 7 indicadores do aspecto de emissão do Modelo GRI-G4.

Palavras-chave: Protocolo de Quioto, Desenvolvimento Sustentável, Relatórios de Sustentabilidade e Créditos de Carbono.

Texto completo: PDF