Open Conference Systems, I Congresso Nacional de Administração e Ciências Contábeis – AdCont 2010

Tamanho da fonte: 
Dinâmicas da Accountability no Terceiro Setor Brasileiro: Das Relações Gerais com a Sociedade às Pressões dos Agentes Financiadores
Carlos Eduardo Guerra Silva, Afrânio Carvalho Aguiar, Reynaldo Maia Muniz

Prédio: Universidade Cândido Mendes
Sala: Sala 2
Data: 2010-10-27 11:00  – 01:00
Última alteração: 2010-10-15

Resumo


A malversação de recursos e a falta de transparência de algumas organizações do terceiro setor, como evidenciado em casos como o dos Anões do Orçamento ou o da CPI das ONGs, mostram-se recorrentes e comprometem inclusive a imagem de organizações engajadas e que promovem o interesse público. Portanto, as práticas de accountability possibilitam a demonstração de posições transparentes e resultados efetivos para a sociedade, com conseqüente ganho de legitimidade perante a opinião pública. Ainda assim, as relações com a sociedade apresentam especificidades, podendo ser mais horizontais (e.g. voluntários, beneficiários) ou verticais (e.g. financiadores, governo). As regras e sanções que emanam das relações verticais sugerem que os financiadores constituem o grupo com maior nível de exigência e interferência na ação organizacional. Nesse sentido, este estudo analisa as dinâmicas da accountability no contexto do terceiro setor brasileiro, partindo das relações mais gerais com a sociedade e aprofundando nas relações entre organizações e agentes financiadores. Através da análise de conteúdo do Projeto Transparência e Prestação de Contas da Sociedade Civil – CASO BRASIL, buscou-se identificar os sentidos que organizações do terceiro setor e financiadores atribuem às relações de accountability. Adicionalmente, foi elaborada uma teoria fundamentada nos dados, cujas constatações se deram em dois sentidos. No sentido (a) organizações do terceiro setor → financiadores, as organizações, de forma a obter e a manter certos recursos, se submetem (ainda que cerimonialmente) ao controle social (predominantemente vertical) exercido pelos financiadores, sendo a prestação de contas o principal mecanismo que possibilita às organizações demonstrarem transparência e desempenho (eficiência social) nas relações de accountability. No sentido (b) financiadores → organizações do terceiro setor, os financiadores, para disponibilizar recursos, apresentam certas exigências de transparência e desempenho (eficiência social), sendo o controle social (predominantemente vertical) o principal mecanismo que possibilita que tais exigências sejam atendidas nas relações de accountability.