Open Conference Systems, I Congresso Nacional de Administração e Ciências Contábeis – AdCont 2010

Tamanho da fonte: 
COMPARAÇÃO ENTRE DOIS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO: UM ESTUDO DE CASO NO CONTROLE GERENCIAL DE UMA FINANCEIRA
Marco Aurélio Carino Bouzada

Prédio: Universidade Cândido Mendes
Sala: Sala 3
Data: 2010-10-27 11:00  – 01:00
Última alteração: 2010-10-15

Resumo


Este artigo procura analisar, a partir de uma pesquisa participante com fins descritivos, como a informação foi manuseada no departamento de Controle Gerencial de uma financeira chamada Creditec. Para tal, inicialmente, conceitos e idéias fundamentais para dar sustentação teórica à discussão são revistos, como: aspectos políticos influenciando a mudança de sistema; diferentes tipos de barreiras para um gerenciamento inteligente da informação organizacional; usuários ganhando força no contexto da empresa e a importância do humanware; e aspectos organizacionais e ligados ao indivíduo (demográficos, cognitivos e de personalidade) influenciando a atitude humana perante a tecnologia. Adicionalmente, trabalhos de outros autores que da mesma forma estudaram o impacto da tecnologia em diferentes situações também estão revistos. Após a descrição metodológica da pesquisa, um histórico da empresa é apresentado, o seu funcionamento geral é explicado e o Controle Gerencial é descrito. Logo após, é apresentado o software GERENCIAL, que era a ferramenta que fornecia aos analistas as informações brutas que eram trabalhadas e interpretadas. A seguir, é descrito como ficou o processo de coleta de informações em um segundo momento, quando os analistas buscavam – por conta própria – as informações na base de dados. A grande transformação em termos de atitude experimentada pelos analistas coincide claramente com a migração para o “Novo Paradigma em Tecnologia de Informação” identificado por Tapscott e Caston (1995) e é explorada no artigo. Um quadro comparativo entre os dois sistemas é confeccionado e serve de pano de fundo para uma discussão sobre o Sistema de Informações na Creditec à luz da teoria referenciada na revisão.