Open Conference Systems, II Congresso Nacional de Administração e Ciências Contábeis - AdCont 2011

Tamanho da fonte: 
Discussões e Perspectivas sobre o Processo de Entendimento Compartilhado entre Usuários e Desenvolvedores sobre Demandas de Desenvolvimento de Sistemas de Informação Analisado segundo o Modelo de Organização de Karl Weick
Aline Vieira Malanovicz

Prédio: Faculdade de Economia e Finanças IBMEC
Sala: Sala 1
Data: 2011-10-14 04:00  – 06:30
Última alteração: 2011-09-25

Resumo


Este trabalho teórico tem como objetivo discutir os resultados de uma investigação empírica realizada sobre o tema do entendimento compartilhado entre usuários e desenvolvedores sobre as demandas de desenvolvimento de sistemas. Um estudo de caso realizado em uma empresa que apresenta uma parceria entre as áreas de negócio e de tecnologia permitiu o acompanhamento do dia-a-dia de dez diferentes projetos de desenvolvimento de sistemas utilizando as técnicas de observação participante, consulta documental e entrevistas individuais com os principais envolvidos nos projetos. As análises realizadas sobre os dados tomaram como fundamentação teórica o modelo clássico de organização como processo de Karl Weick (1973), que permitiu a compreensão do processo de entendimento compartilhado sobre as demandas como um processo de organização entre as pessoas que reduz ambiguidade na informação do ambiente. A discussão que se realiza neste trabalho refere-se aos múltiplos pontos de vista segundo os quais os resultados dessa pesquisa empírica podem ser interpretados. São aqui tecidos comentários a respeito de tendências atuais na área de pesquisa sobre sistemas de informação, tais como: a abordagem do desenvolvimento de sistemas como um serviço; a utilização dos chamados métodos ágeis para desenvolvimento de sistemas; e a adoção do esquema de parcerias entre áreas de negócios e de tecnologia para desenvolvimento de sistemas. Também são discutidos aspectos teóricos referentes à compreensão do processo em questão, tais como: níveis de sistemas em organizações interpessoais; produção de sentido individual e coletiva sobre demandas (sensemaking); e as subculturas intraorganizacionais diferenciadas entre usuários e desenvolvedores. Esta discussão atinge seus objetivos ao apontar caminhos potencialmente promissores para pesquisas futuras a respeito deste tema.

Texto completo: PDF