Open Conference Systems, II Congresso Nacional de Administração e Ciências Contábeis - AdCont 2011

Tamanho da fonte: 
Uma Análise da Divulgação das Recomendações de Basiléia 2 nos Relatórios dos Bancos Privados Brasileiros
Ricardo Furieri Bastianello, Adriano Rodrigues, Talles Vianna Brugni, Patrícia Krauss Serrano Paris, Andreia da Silva Britto

Prédio: Faculdade de Economia e Finanças IBMEC
Sala: Sala 5
Data: 2011-10-14 04:00  – 06:30
Última alteração: 2011-09-25

Resumo


O presente trabalho tem por objetivo mostrar o grau de evidenciação dos bancos privados brasileiros perante recomendações do Pilar 3 do Basiléia 2. Para alcançar este objetivo, foi feita uma comparação entre as evidenciações dos três maiores bancos privados brasileiros mostradas nas informações financeiras trimestrais (IFT’s) referentes ao 4° trimestre de 2008 e 2009 e os padrões expostos no Pilar 3 do Acordo de Basiléia 2. Para seleção da amostra utilizou-se o tamanho do Patrimônio Líquido. O Acordo de Basiléia 2, que foi uma reestruturação do Acordo de Basiléia, foi construído sobre três pilares: alocação de capital, supervisão bancária e disciplina de mercado. Este último busca assegurar um maior grau de transparência às instituições financeiras tendo em vista os possíveis riscos, ou seja, saber se estes riscos, assumidos por estas entidades, irão compensar o investimento. Para tornar possível a execução do trabalho, a análise de conteúdo e um minucioso exame das informações financeiras foram essenciais. Esta pesquisa tem caráter descritivo-exploratório e é enquadrada como bibliográfica e documental quanto a sua natureza. O Pilar 3 traz suas exigências em quatorze tabelas, das quais foram utilizadas nove, pertinentes apenas a requerimentos de disclosure relacionados à aplicação das abordagens padronizadas, excluindo-se itens relativos às abordagens não padronizadas. Os resultados indicaram que os níveis de divulgação médio foram de 37% e 38% em 2008 e 2009 respectivamente. Constatou-se que o disclosure dos três maiores bancos privados brasileiros está além do nível de evidenciação dos bancos públicos (25 e 28% no mesmo período), mas ainda abaixo se comparado com bancos europeus (58% a 63% entre 1999 e 2001). Concluiu-se que a evidenciação dos bancos privados ainda apresenta um nível principiante de transparência e normalmente o disclosure se limita à informações exigidas por legislação.

Palavras – Chave: Basiléia 2; Disclosure; Relatórios; Bancos Privados.


Texto completo: PDF