Open Conference Systems, V Congresso Nacional de Administração e Ciências Contábeis - AdCont 2014

Tamanho da fonte: 
Obrigatoriedade da Demonstração do Resultado Abrangente: Melhoria ou Excesso de Informação?
Samuel de Oliveira Durso, Poueri do Carmo Mario

Última alteração: 2014-09-05

Resumo


O presente trabalho teve como objetivo analisar se a obrigatoriedade da divulgação da Demonstração do Resultado Abrangente (DRA) trouxe melhorias informacionais para os usuários das demonstrações contábeis, sob a ótica do poder preditivo da informação contábil. Para isso, comparou-se o poder preditivo do Resultado Abrangente Total (RAT) com o poder preditivo do Lucro Líquido (LL) em relação ao Fluxo de Caixa (FC) e LL futuros. Utilizou-se uma amostra não-probabilística constituída por 179 empresas pertencentes a algum dos níveis de governança corporativa da BMF&Bovespa. Como metodologia empregada utilizou-se o teste de médias não-paramétrico Mann-Whitney e regressões estimadas pelo método de Mínimos Quadrados Ordinários (MQO). Como principal resultado, foi evidenciado que, para a amostra, não houve diferenças significativas de predição entre o LL e o RAT, o que foi corroborado pela aceitação da hipótese nula do teste Mann-Whitney. Quando analisado pelo setor de atuação das empresas da amostra, não foi possível constatar que o RAT apresenta maior poder preditivo que o LL para as instituições do setor financeiro, conforme afirma a literatura sobre o assunto. Esta pesquisa apresentou a restrição de ter utilizado uma amostragem não probabilística, o que impediu a generalização dos resultados do estudo para empresas fora da amostra. Ao final do trabalho, realizaram-se sugestões de novas pesquisas relacionadas à divulgação da DRA.

Texto completo: PDF